quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Salmo 118 decepção

DECEPÇÃO 

Salmo 118.1-9


O coração se  aperta e bate descompassado. Os olhos lacrimejam e o sorriso some. Ó Deus, como dói a decepção! Os pensamentos vagueiam e se perguntam: por quê? Por que as coisas são assim? Por que até os que amamos são insensíveis a nós? Mesmo sem intenção somos tratados como objetos descartáveis. É estranho e triste sentir-se só no meio da multidão, mas por que contamos com quem nada pode nos oferecer? No silêncio da solidão, muitas vezes esperamos que outras pessoas supram nossas carências. Tudo ilusão! As pessoas falham e, apesar de entendermos isso, a distância entre a razão e o que sentimos é grande.
Mas Deus pode abrandar a tempestade do coração, tranquilizar as emoções a aliviar a dor. Em Deus realmente há consolo, não há rocha firme a não ser o Senhor. Somente nEle podemos confiar e saber que Ele não nos abandona. No fundo, o problema não é que as pessoas falham conosco: nós é que nos deixamos enganar. Fechamos os olhos ao óbvio, criamos expectativas e pintamos o quadro conforme imaginamos. De repente, então, a realidade nos assalta e nem de longe é o que sonhamos. Mas a vida é assim, as pessoas são assim. Somente Jesus é diferente e nos aceita incondicionalmente. A decepção ocorre quando direcionamos o nosso amor ao alvo errado: ao invés de amar a Deus em primeiro lugar e experimentar sua maravilhosa graça, "amamos" as pessoas de forma egoísta e manipuladora, esperando que atendam nossas expectativas. Esqueçemos que deveriamos acima de tudo amar a Dus de todo o nosso coração, de toda a nossa alma e com toda a nossa força. Na verdade, com isso apenas corresponderemos ao amor de Deus, porque Ele já nos amou antes mesmo de termos sido criados. Como é bom ter o Senhor nas horas de decepção. Como é bom saber que o Senhor é fiel e permanece presente ainda que todos nos abandonem. Como é bom ser amado por Jesus; Ele jamais nos decepciona, pois seu amor por nós é e sempre será maior.